A experiência da quarentena promovida pela pandemia da Covid-19 segundo uma perspectiva fenomenológica

  • Willian Isao Miyamoto Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP
  • Flávio Guimarães-Fernandes
  • Daniela Ceron-Litvoc Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Resumo

A pandemia da Covid-19 causada pelo novo coronavírus impôs mudanças na vida cotidiana em todas as esferas sociais. As formas como interagimos uns com os outros tiveram que ser revistas, questionadas e readaptadas. Nesse contexto, o termo “catástrofe” parece adequado para definir este acontecimento histórico, dadas as mudanças drásticas e trágicas vividas em todas as esferas da
sociedade, e particularmente evidentes nos acontecimentos diários e nas relações interpessoais. Ao definir as mudanças cotidianas ocasionadas pela situação de quarentena como uma situação catastrófica, enfocaremos os choques sofridos pelas estruturas de consciência em sua intenção de relação com o mundo e, a partir de uma possibilidade protentiva, sua reconstrução após a crise. Para esta análise, o artigo foi dividido em cinco partes: definição do conceito de situação-limite, segundo Jaspers, com posterior análise de duas situações-limite vividas por indivíduos em quarentena; suspensão de valores e correlação entre a experiência temporal vivida nesse período e o conceito de expectativa, conforme Minkowski; análise desta experiência, com base na descrição de Blankenburg de "perda de evidência natural"; possibilidades de reação psíquica a este evento catastrófico; e, por fim, como a terapia fenomenológica pode ajudar os indivíduos afetados por essa situação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willian Isao Miyamoto, Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP

Psiquiatra pelo Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP. Membro da Sociedade Brasileira de Psicopatologia Fenômeno-Estrutural

Flávio Guimarães-Fernandes

Médico Psiquiatra da Sociedade Brasileira de Psicopatologia Fenômeno- Estrutural. Docente do Curso de Especialização em Psicopatologia Fenomenológica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Pesquisador em Estudos Qualitativos pela Universidade de São Paulo.

Daniela Ceron-Litvoc, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Psiquiatra. Presidente da Sociedade Brasileira de Psicopatologia Fenômeno- Estrutural. Docente do Curso de Especialização em Psicopatologia Fenomenológica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Pesquisadora em Estudos Qualitativos pela Universidade de São Paulo

Publicado
2020-12-01
Seção
Artigo original