Sobre a Revista

Foco e Escopo

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea, ISSN 2316-2449, é de responsabilidade da Sociedade Brasileira de Psicopatologia Fenômeno-Estrutural (SBPFE). É publicada semestralmente. Seu escopo compreende toda a amplitude do movimento fenomenológico, em suas vertentes estrutural, existencial, descritiva ou transcendental, bem como suas bases filosóficas. Seu objetivo é aprimorar e aprofundar o conhecimento na esfera clínica e da existência humana em suas relações consigo mesmo, com o outro, com a temporalidade e a espacialidade. É um periódico de acesso aberto, publicado exclusivamente online. A Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea se declara aberta quanto à participação de autores alheios à instituição editora da revista.

Missão
A revista tem como missão divulgar trabalhos orientados pela perspectiva fenomenológica em psicopatologia com enfoque psiquiátrico, psicológico ou filosófico.

Público alvo
Psiquiatras, psicólogos, filósofos e demais estudantes ou profissionais interessados pela área da saúde mental na perspectiva fenomenológica.

Cobertura temática codificada de acordo com a classificação da CAPES: Áreas do conhecimento Psicologia (70700001) e Psiquiatria (40104001).

Periodicidade

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea tem periodicidade semestral com publicação nos meses junho e dezembro, recebendo artigos em fluxo contínuo durante todo o ano.

Histórico 

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea foi fundada em 2012 como um movimento Sociedade Brasileira de Psicopatologia Fenômeno-Estrutural (SBPFE), encabeçado pelo seu presidente-fundador, o Prof. Dr. Guilherme Messas, com intenção e meta de desenvolver e difundir a psicopatologia fenomenológica no Brasil e no mundo. Desde sua criação, a revista tem se voltado ao tema publicando tanto traduções de artigos de autores clássicos da psicopatologia fenomenológica quanto artigos originais de autores contemporâneos e fomentando o desenvolvimento acadêmico de novos pesquisadores da área. Assim, a revista procura desenvolver uma abordagem temática de equilíbrio entre a tradição e inovação, publicando tanto textos clássicos, como propostas autorais e novos enfoques de pesquisa psicopatológica. Investindo na força do diálogo e na democracia do conhecimento, a revista PFC oferece acesso on-line de seu conteúdo e aceita publicações em português, inglês, espanhol, francês e italiano.

Com mais de uma década de experiência, a revista oferece um fértil campo de produção em psicopatologia no Brasil e no mundo, mantendo viva a proposta inicial de duas edições por ano. Podemos ressaltar, nesse período, duas edições especiais. Em 2016, como comemoração à realização do 18th International Conference on Philosophy, Psychiatry and Psychology no Brasil - INPP 2016, co-organizada pela SBPFE e a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, foi realizada uma edição especial da revista com 11 artigos selecionados tendo a participação da Dra. Melissa Tamelini como editora associada. Já em 2018, uma nova edição especial foi realizada, agora como temática a tradução para o português do Examination of Anomalous World Experience (EAWE).

Além de seu fundador, a revista teve em seu quadro de editores a Profa. Dra. Virgínia Moreira (2016 e 2017). Atualmente os editores são ligados ao Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo, o Dr. Flávio Guimarães-Fernandes (2018-atual), a Dra. Daniela Ceron-Litvoc (2018-atual) e o Dr. Gustavo Bonini Castellana (2020-atual).

Processo de Avaliação por Pares

Inicialmente, os manuscritos são avaliados pelos editores quanto à adequação do artigo em relação às normas e à linha editorial da revista. Aqueles que não se adequarem serão rejeitados e os autores serão informados sobre os motivos da recusa. Os trabalhos aprovados pelos editores são enviados para apreciação do Conselho Editorial – pelo menos dois revisores especialistas na área, utilizando o modelo de avaliação por pares duplo-cego – para a emissão de pareceres técnicos. O editor poderá solicitar a contribuição de especialistas convidados, na qualidade de consultores ad hoc. Os revisores podem sugerir modificações, correções, solicitar esclarecimentos e fazer recomendações. Os comentários dos revisores serão encaminhados aos autores, para guiar a reestruturação do texto. Os autores podem enviar justificativas ou esclarecimentos sobre aspectos do manuscrito. A nova versão do artigo será encaminhada a nova rodada de avaliação pelos revisores. Este processo pode ser repetido algumas vezes, até que o manuscrito seja considerado adequado. A decisão sobre o aceite ou não do manuscrito será baseada nos pareceres dos revisores, consultores ad hoc e na análise dos editores. Os autores serão notificados por e-mail sobre o aceite, a rejeição ou sobre a necessidade de modificações no texto. Os autores dos artigos aceitos para publicação serão notificados e receberão instruções referentes aos procedimentos editoriais. Os editores reservam-se o direito de introduzir pequenas alterações no texto durante o processo de editoração, para efeitos de padronização. Os trabalhos em avaliação não poderão ser submetidos a outras publicações, até que recebam uma notificação sobre o aceite ou rejeição na revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea. A média de tempo entre a submissão e a primeira resposta é de cinco semanas. A Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea se declara aberta quanto à participação de avaliadores alheios à instituição editora da revista.

Política de Verificação de Plágio

A partir de 2021, todas as submissões aceitas passam por análise de plágio por meio do software Plagius. As submissões nas quais identificamos a presença de plágio e/ou autoplágio serão tratadas de acordo com as diretrizes do Comitê de Ética em Publicações (COPE).

Diretrizes Éticas

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea segue as recomendações do International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE) (www.icmje.org) em relação à autoria, conflitos de interesse e em relação a pesquisas envolvendo seres humanos. O número de aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, bem como a afirmação de que todos os sujeitos envolvidos (ou seus responsáveis) assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (Resolução MS/CNS/CNEP nº 466/12 de 12 de dezembro de 2012), no caso de pesquisas envolvendo seres humanos (assim como levantamentos de prontuários ou documentos de uma instituição), são obrigatórios e devem ser citados no texto.

Diretrizes para Autores 

As diretrizes, as recomendações gerais assim como os templates para submissão e os exemplos de formatação estão disponíveis nas Diretrizes para Autores da revista.

Política de Acesso Aberto 

Este é um periódico científico de acesso aberto, o que significa que todo o conteúdo está disponível gratuitamente, sem custo para o usuário ou sua instituição. Os usuários têm permissão para ler, baixar, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar ou vincular os textos completos dos artigos, ou usá-los para qualquer outra finalidade legal, sem solicitar permissão prévia do editor ou do autor. Da mesma forma, não cobra dos autores nenhuma taxa ou encargo referente ao processo de submissão, avaliação e edição. Todos os trabalhos publicados na revista são licenciados sob uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Os autores têm a permissão para depositar todas as versões de seus artigos em um repositório institucional.

Sobre a Licença

Todos os trabalhos publicados na revista são licenciados sob uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Esta licença permite que os reutilizadores distribuam, remixem, adaptem e construam sobre o material em qualquer meio ou formato apenas para fins não comerciais e apenas enquanto a atribuição for dada ao criador.

Protocolo de interoperabilidade

A Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea segue padrões e protocolos de integração/interoperabilidade por meio do Open Archives Iniciative Protocol for Metadata Harvesting (OAI-PMH): https://www.revistapfc.com.br/rpfc/oai.

Arquivamento dos artigos

A revista tem habilitadas as opções de arquivamento (LOCKSS e CLOCKSS) que permitem armazenar e distribuir o conteúdo da revista em bibliotecas participantes.